Você gostaria de amarrar o seu burro na sombra?

Autor:  Fred Benzaquen Costa – Sócio administrador e CEO da FBC Consultoria Empresarial.

Você com certeza já ouviu um amigo ou conhecido usar a expressão: “amarrei o burro na sombra,” mas o que significa isso? Conquistar a tão almejada tranquilidade? Poder desfrutar de um belo estilo de vida com regalias e geralmente associado a não precisar trabalhar? Estar de bobeira; com a vida mansa?

Quantos trabalham grande parte da sua vida junta algum e buscam a tão sonhada situação:

“Amarrei meu burro na sombra”.

O que acontece normalmente é que o mercado é muito mais dinâmico do que se imagina e algo que hoje assegura uma estabilidade financeira amanhã pode não garantir absolutamente nada.

 Quantos de vocês já conheceram história de empresas de sucesso que em pouco tempo viraram cinzas? Lembram das fabricas que produziam chapéus? As empresas do tabaco?  Aquelas que prestavam serviços em revelação de fotografia? E aquelas que alugavam filmes?   Aquele negócio vantajoso de comprar linhas telefônicas para aluga-las?

Quantos profissionais liberais perderam e/ou enfraqueceram o “sentido da sua profissão ” como por exemplo os alfaiates; sapateiros; relojoeiros que podemos também juntar a esses as funções com carteiras assinadas no mercado de trabalho como: Operador de telex e copiadora ou as datilografas ; E aquelas profissões que apesar de permanecerem no mercado de trabalho estão com os seus dias contados como por exemplo as secretarias  e tantos outros apenas porque não fizeram pelo menos esse simples questionamento : O conhecimento , o acesso ao conhecimento e a inovação fazem parte da minha estratégia de sobrevivência e crescimento planejado ?

Vocês com certeza conhecem aqueles investidores que possuem seus negócios entregues a outros sócios ou mesmo a executivos e em função de uma delegação irresponsável se acomodam em não obter a mínima prestação de contas e/ou acompanhamento periódico do seu negócio e assim ficam aguardando apenas que “ o dinheiro cai na sua conta” ao final de cada período como se isso fosse uma obrigação sistêmica… Como sabemos: Do topo só existe um caminho que é para baixo.

Ha também  aqueles empreendedores que por “miopia empresarial” não despertam nas suas equipes um olhar mais voltado para o futuro utilizando as pesquisas cientificas como base para se antecipar as rápidas e evolutivas tendências do mercado quer na inovação quer no desenvolvimento criando assim alguns mecanismos voltados para identificar o “inadequado”.

Esta coragem para praticar o “abandono do inadequado” deve sempre ocorrer para que o novo seja implementado rapidamente viabilizando assim novas oportunidades e convertendo essas oportunidades em produtos e/ou serviços que agreguem valor para os clientes atuais e futuros;

Muito mais desafiador é manter-se  no topo do que chegar até ele, até porque, podemos chegar lá só com um simples “empurrãozinho” do mercado no momento em que este esteja em crescimento acelerado (espaço para todos e mais alguns).

Nesses casos as circunstancias falam até mais alto do que a própria competência e na sequencia poderemos encontrar um problema ainda maior.

Veja por exemplo o caso das empresas em crescimento acelerado , por um lado , este crescimento traz a empolgação associada a ilusão do faturamento alto o que não significa estar ganhando mais dinheiro e, por outro lado, os custos evoluem em função de uma nova  “equação empresarial ” onde alteram-se todas as anteriores referenciais  desde a logística, a quantidade e qualificação da equipe, aos fornecedores; administração dos contratos , etc. e ai  surgem desafios ainda maiores que em muitos dos casos o empresário não terá o tempo suficiente para equilibrar a equação : Crescimento acelerado da empresa x maturidade profissional do líder e da sua equipe … E aí ? Como faremos para nos manter no topo?

Algumas regras básicas para nos anteciparmos as crises criadas por nós mesmos:

  • Qual é o seu negócio? Quem é o seu cliente? Como você se comunica com o seu cliente? O que é valor para o seu cliente e que ele está disposto a pagar por isso?
  • O que você tem aprendido com os seus clientes?
  • Manter o olhar sempre voltado para o mercado – O olhar é de fora (mercado) para dentro (sua empresa) e nunca de dentro para fora (não utilizar a postura “avestruz” …Cabeça enfiada na terra!);
  • Projetar sempre o futuro e procurar obter uma visão macro dos cenários internos e externos da sua empresa;
  • Dispor de uma equipe qualificada: Pessoas de caráter; disciplinadas e com potencial de crescimento;
  • Conhecer a fundo seus concorrentes; fornecedores e parceiros
  • Focar na sobrevivência depois no crescimento, mas buscando sempre a perpetuidade, ou melhor, a longevidade;
  • Conhecer a suas forças, mas também suas fraquezas e saber como administra-las;
  • Diversificar sempre e não concentrar sua carteira em poucos clientes;
  • Estimular a pesquisa e o desenvolvimento de produtos e serviços;
  • Não se contentar com o que está “dominado”. Não aceitar o “não” como justificativa; reinvente-se, sempre!
  • Priorizar mais as forças das pessoas que compõe sua equipe que na administração das suas “fraquezas”. As pessoas alcançam seus maiores sucessos quando trabalham desafiadas em busca de objetivos comuns por cuja realização sejam apaixonadas.
  • Não tenha a ideia fixa de “ganhar dinheiro”. Desenvolva um bom planejamento com as suas respectivas premissas e orçamentos; acompanhe e preste contas de forma periódica; concentre na superação dos desafios; trabalhe duro e seja persistente que você vai constatar que o dinheiro chegará naturalmente. (Na minha vida profissional quer como executivo, empresário e/ou consultor de empresas afirmo que os empresários bem-sucedidos que tive oportunidade de conviver todos tinham e têm uma verdadeira paixão pelo que fazem – o dinheiro nunca foi/é a sua prioridade. Ele vira em decorrência).
  • Seja ético e pratique o bem!
  • Mantenha a união e o equilíbrio no seio da sua família (em caso de empresas familiares) e também da sua equipe dirigente;
  • Pergunte-se sempre: Se eu não estivesse atuando no meu atual negócio eu investiria para entrar nele?
  • Importante: Saiba dizer a palavra “NÃO” todas vezes em que “aquela voz interior “te alertar. Evitará uma série de problemas no futuro;

E não esqueça: O amanhã será sempre uma nova oportunidade!

Tags are not defined for this post

0 comments

No comments. Leave first!

Leave a reply